Tendência global: mobile ultrapassa webmail e desktop no acesso aos e-mails

O avanço da tecnologia móvel transformou o mundo de muitas maneiras, incluindo a forma como os usuários interagem com o e-mail. Globalmente, a taxa de abertura de mensagens via dispositivos móveis quase dobrou nos últimos cinco anos, saltando de 29% em 2012 para 55% em 2017. No Brasil, a preferência praticamente se divide entre os acessos via mobile (48%) e webmail (46%).

Esses resultados apareceram no estudo “A experiência com clientes de e-mail”, realizado ela Return Path com base na análise de mais de 27 bilhões de e-mails abertos entre maio de 2016 e abril de 2017, usando duas soluções da empresa: Email Client Monitor, de rastreamento; e Geo Email Monitor, de geolocalização.

“O estudo evidencia uma tendência que já vínhamos notando: cada vez mais as pessoas estão abrindo mais e-mails em dispositivos móveis. Essa nova realidade exige que as marcas se atentem aos detalhes na construção de campanhas que chamem a atenção dos clientes em ambientes menores, se comparados ao espaço de visualização de um desktop”, explica Rafael Viana, estrategista de e-mail da Return Path.

Preferência dos brasileiros no acesso a e-mails

Dispositivo

2012

2017

Webmail

56%

48%

Mobile

14%

46%

desktop

30%

7%

Os dados fazem parte do estudo “A experiência com clientes de e-mail” (https://returnpath.com/pt-br/downloads/email-client-experience/), lançado pela Return Path. A pesquisa também mapeia quando as pessoas têm maior probabilidade de abrir e-mails e o período de tempo que normalmente dispensam em cada mensagem, entre outros detalhes da experiência. O tempo de leitura agrega insights sobre a relevância dos conteúdos, e está dividido em 3 categorias: abaixo de 2 segundos considera-se abandono, entre 3 e 7 segundos indica que o assinante leu rapidamente, e pode-se considerar lido quando o tempo é superior a 8 segundos.  As análises foram realizadas com base em dados coletados entre os meses de maio de 2016 a abril de 2017, e comparados com estudo similar, divulgado pela empresa em 2012.

Onde as pessoas estão lendo e-mails? Métrica Global (2012 – 2017)

Dispositivo

% de abertura em 2012

% de abertura em 2017

% de diferença

Mobile

29%

55%

+ 26%

Webmail

37%

28%

– 9%

Desktop

34%

16%

– 18%

Métrica por países (2017)*

Países

Mobile

Webmail

Desktop

Grã-Bretanha

76%

14%

9%

Singapura

73%

15%

12%

Estados Unidos

71%

16%

13%

Austrália

71%

13%

16%

Canadá

70%

17%

12%

Espanha

63%

25%

11%

China

61%

16%

23%

França

59%

28%

13%

Itália

57%

28%

15%

Alemanha

57%

22%

21%

Brasil

48%

46%

7%

Entre as principais conclusões do estudo estão:

·         Celular dispara na preferência global – Durante o período analisado, 55% dos e-mails foram abertos em dispositivos móveis, contra a taxa de 29% apresentada em 2012. Em contrapartida, a abertura em webmail caiu 26% em cinco anos – de 37% para 28%. O Desktop apresenta o menor nível de preferência: apenas 16% na média global, contra 34% em 2012;

·         Plataforma iOS continua muito utilizada – A taxa de abertura de e-mail no iPhone e no iPad apresentou leve queda nos últimos cinco anos, mas ainda assim o iOS segue apresentando grande vantagem em relação ao Android, na preferência dos usuários globais. A soma das taxas de IPhone e Ipad resulta em abertura de 79%, contra 20% em Android. Em 2012, apenas 14% dos acessos a e-mails via dispositivos móveis foram no Android, enquanto 85%, no iOS.

·         O Gmail ultrapassou o Yahoo! na corrida de webmail – Com um salto de 6% em 2012 para 59% em 2017, o Gmail figura hoje como líder no número de aberturas no ambiente de webmail. Na edição anterior da pesquisa da Return Path, o Yahoo! era o mais utilizado pelos usuários, com 37% da preferência.

·         Aos finais de semana, o pico de aberturas acontece via celular – Sem surpresas, a maior porcentagem de acessos a e-mails via dispositivos móveis acontece no fim de semana, 60% aos sábados e domingos, contra média entre 51 e 55% de segunda a sexta-feira. Os dados podem ser explicados pelo fato de que durante a semana as pessoas tendem a estar na frente de seus computadores.

“Em apenas cinco anos, vimos mudanças significativas no ambiente de e-mail e não há dúvida de que mais mudanças estão por vir”, disse Cecília Belele, Diretora Regional da Return Path para América Latina. “Os profissionais de marketing precisam entender o estado atual do ecossistema de e-mail e como é provável que ele evolua ainda mais. Saber como, quando e onde seus e-mails estão sendo abertos – e como esses hábitos mudaram ao longo do tempo – pode auxiliar na tomada de decisões estratégicas sobre o planejamento do programa de e-mail das marcas”.

“A experiência com clientes de e-mail” está disponível para download gratuito. Na página da empresa é possível ainda obter dados atualizados mês a mês dos e-mails abertos.